IRPAA - Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada

Viver no sertão é conviver com o Clima

Formulário de Busca

Siga-nos:



Notícias

Romaria de Canudos

Romaria de Canudos

 


IPMC–Instituto P. Memorial de Canudos

Paróquia Santo Antonio de Canudos

Comissão da Romaria Canudos – Bahia

convidam para a


23ª ROMARIA DE CANUDOS


OUTUBRO DE  2010

TEMA: Canudos, um exemplo de
ECONOMIA SOLIDÁRIA

LEMA: “Eles tinham tudo em Comum”
(Atos do Apóstolos 2,44)

“A Romaria de Canudos é um marco na História / é um importante resgate de nossa Saudosa Memória, todos os anos acontece / pois Canudos merece Reviver essa Historia”

Zé Poeta, Poeta Popular - Monte Santo-BA

PROGRAMAÇÃO

  • Dia 08 – Atividades da UNEB e desfile histórico.
  • Dia 09 – Visita ao Parque histórico.

             - 19 horas – Celebração de abertura; Debate e noite cultural.

  • Dia 10 – 04:30 h. Alvorada; 05 horas inicio da caminhada; 10 h. Missa e Encerramento.

 

A COMUNIDADE BELO MONTE


A situação do Nordeste, no final do século 19 era muito difícil. Havia muita fome, seca, miséria, violência e abandono político. Famílias ricas e altamente poderosas tinham grandes posses de terra, que disputavam e assumiam o poder político da época. Tinham um objetivo comum que era de assegurar e expandir suas propriedades, tendo como base uma economia capitalista, que dominava e escravizava uma população de sertanejos/as excluídos/as, sem referências e sem apoio - na sua maioria eram índios e negros – que perderam ou jamais possuíram alguma terra. Praticamente isolados dos grandes centros urbanos, sem direito à educação, saúde, liberdade, encontraram esperança na religião, através da fé e dos ensinamentos do BOM JESUS.

É com este olhar que a Romaria de Canudos de 2010, em continuação da Campanha da Fraternidade, quer refletir o tema da ECONOMIA SOLIDÁRIA, tão vivenciada na comunidade do Conselheiro. É dentro desta realidade que encontramos no arraial do Bom Jesus, um exemplo de viabilidade de sobrevivência alternativa, quando em 1893 iniciava-se a Comunidade de Belo Monte. O êxito foi grande que os responsáveis desta cidade não se preocuparam apenas em organizar o ambiente, mas a subsistências das famílias que iam chegando e precisavam ser acolhidas. Aos poucos foi surgindo uma Economia de sobrevivência que consistia no cultivo da terra, na criação de bode, na construção de barracos, no cuidado com a escolaridade das crianças.
Isso nos remete a um aspecto fundamental na comunidade do Conselheiro: a SOLIDARIEDADE. Canudos foi uma experiência popular, inclusiva e participativa. Quem chegava lá recebia alguns benefícios e ali ninguém passava fome. Canudos foi uma sociedade solidária que se opunha a economia capitalista. Uma pratica comum era o mutirão. Acredita-se que ali ninguém passava fome. O arraial possuía uma organização econômica capaz de alimentar todos seus habitantes, mesmo frugalmente. Da mesma forma que "Canudos" foi uma resposta aquela situação, hoje a "Economia Solidaria" poderá oferecer saídas à atual situação.

PARA REFLETIR:
1. - Qual a diferença de uma Economia Solidaria e de uma Economia Capitalista?
2 - Da comunidade do Belo Monte, que aspectos podemos assumir em nossa comunidade ?

Canudos

 

EXPERIÊNCIA CRISTÃ

Conforme o texto Bíblico em Atos dos Apóstolos 2, 42-47, vemos que as primeiras comunidades conseguiam vivenciar o ideal cristão. Foi deste texto que a Romaria tirou o lema deste ano. Ele é, junto com a história de Canudos, fonte inspiradora para a construção de um futuro novo.

PARA REFLETIR:
1. Em que consistia o ideal de convivência social dos primeiros cristãos?
2. Qual a diferença das lideranças da época de Antonio Conselheiro, das primeiras comunidades cristãs e as lideranças de hoje?

 

EXPERIÊNCIA DE ECONOMIA SOLIDÁRIA NO SEMI ÁRIDO BRASILEIRO.

A COOPERCUC - Cooperativa Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá, com sede no Município de uauá/BA, nasceu com a missão de contribuir com o fortalecimento da agricultura familiar visando à produção ecologicamente viável socialmente justa e solidaria para garantir a melhoria das condições de vida dos agricultores/as. Através de uma administração e gestão cooperativista em torno da organização e comercialização da produção orgânica, com base no contexto da proposta de convivência com o semi-árido, incentiva diversas dimensões do desenvolvimento sustentável, através do cultivo e beneficiamento das frutas nativas do Bioma caatinga, principalmente o umbu e o maracujá. Hoje a cooperativa dispõe de uma infra-estrutura de 16 unidades de beneficiamento de frutas distribuídas nas Comunidades rurais dos três Municípios, e uma fabrica central que garante o processamento de frutas na transformação em doces, geléias, polpas compotas e sucos. Esta produção atende diferentes tipos de mercado, como por exemplo, a merenda escolar através do PAA- Programa de Aquisição de Alimento, mercado nacional e internacional (França, Áustria e Itália)
A cooperativa surgiu dentro dos princípios da ECONOMIA SOLIDÁRIA e do comercio justo, através da experiência dos agricultores/as cooperados/as. Adotam práticas de produção sustentável com o meio ambiente, utilizando recursos naturais a partir do extrativismo do umbu e do maracujá da caatinga de forma segura sem comprometer o ciclo de produção das plantas símbolo de resistência desta região. A cooperativa também desenvolve programas de replantio e melhoria de variedades de umbu nas propriedades em áreas coletivas de Fundos de Pasto.

PARA REFLETIR:
1- O que o Poder Público poderia fazer para viabilizar os projetos do povo e melhorar as suas condições de vida?
2 – Que outros exemplos estão dando certo na nossa região para melhorar a vida dos moradores organizando uma Economia Solidaria?

“Zele o umbuzeiro, pois plantas novas não tem mais, as que ai existem já tem cem anos ou mais e só quem os viu nascer foram os nossos ancestrais”
Jailson Torquato – Agricultor / Curaçá-BA
 


HISTÓRICO DAS ROMARIAS

1ª ROMARIA: 1988
Tema: Povo que reza resiste.
2ª ROMARIA: 1989
Tema: A Lei nasce do povo e de suas organizações.
3ª ROMARIA: 1990
Tema: O povo organizado descobre jeito de conviver com a seca e a falta de terra.
4ª ROMARIA: 1991
Tema: Canudos, uma nova sociedade nasceu da fé e da organização do povo.
5ª ROMARIA: 1992
Tema: Canudos, a cultura sertaneja encontra chão.
6ª ROMARIA: 1993
Tema: 100 Anos de Canudos
7ª ROMARIA: 1994
Tema: Sertanejo conquista sua água.
8ª ROMARIA: 1995
Tema: Canudos, esperança dos excluídos.
9ª ROMARIA: 1996
Tema: Canudos. Só Deus é grande
10ª ROMARIA: 1997
Tema: Canudos. 100 anos do Massacre no sertão.
Lema: Sangue derramado, terra fecundada.
11ª ROMARIA: 1998
Tema: Canudos vivo, cresce a esperança no sertão.
12ª ROMARIA: 1999
Tema: Água e comida para viver.
13ª ROMARIA: 2000
Tema: 2005-2011: Outra seca no sertão.
14ª ROMARIA: 2001
Tema: Cuidar da terra e da água é cuidar a vida.
15ª ROMARIA: 2002
Tema: O povo sertanejo organizado é forte.
16ª ROMARIA: 2003
Tema: Cuidar da terra é garantir a vida.
17ª ROMARIA: 2004
Tema: Água, vida e meio ambiente.
18ª ROMARIA: 2005
Tema: Canudos renasce,noutro tempo,noutro chão.
19ª ROMARIA: 2006
Tema: Canudos; Velho Chico e o Vaza-Barris, uma luta pela vida.
20ª ROMARIA: 2007
Tema: Canudos: Memória e Missão
21ª ROMARIA: 2008
Tema: Canudos, uma Democracia Orgânica e Participativa.
Lema: Povo Livre, Poder Compartilhado.
22ª ROMARIA: 2009
Tema: Canudos, Justiça e Qualidade de Vida.
23ª ROMARIA: 2010
Tema: Canudos, um exemplo de Economia Solidaria
Lema: .Eles tinham tudo em Comum (At, 2,44)


IPMC–Instituto P. Memorial de Canudos Paróquia Santo Antonio de Canudos Comissão da Romaria Canudos – Bahia
(75) 3494-2194/2587,  ipmcanudos@hotmail.com
 

 


Veja também

< voltar    < principal    < outras notícias

Página:

Romaria de Canudos

Para:


Suas informações:



(500 caracteres no máximo) * Preenchimento obrigatório




Campanhas

Newsletters

Cadastre seu e-mail para receber notícias.

Formulário de Contato





Faça sua doação


Copyright © 2005 - 2009 IRPAA.ORG Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada - IRPAA
Avenida das Nações nº 04 - 48905-531 Juazeiro - Bahia, Brasil
Tel.: 0055-74-3611-6481 - Fax.: 0055-74-3611-5385 - E-mail: irpaa@irpaa.org - CNPJ 63.094.346/0001-16
Utilidade Pública Federal, Portaria 1531/06 - DOU 15/09/2006 Utilidade Pública Estadual, Lei nº7429/99
Utilidade Pública Municipal, Lei nº 1,383/94 Registro no CNAS nº R040/2005 - DOU 22/03/2005