IRPAA - Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada

Viver no sertão é conviver com o Clima

Formulário de Busca

Siga-nos:



Notícias

Biólogo explica possíveis causas de ataques de abelhas na Bahia e Pernambuco, e destaca a importância de preservar a natureza

Biólogo explica possíveis causas de ataques de abelhas na Bahia e Pernambuco, e destaca a importância de preservar a natureza

Diante dos últimos acontecimentos envolvendo ataques de abelhas nas cidades de Juazeiro e Curaçá, na Bahia, e Petrolina, em Pernambuco, entrevistamos Wermerson Cardoso, que é Biólogo, Apicultor e também colaborador do Irpaa, para que ele possa explicar, com mais detalhes, quais seriam as possíveis causas dessas ocorrências, e como a população deve se comportar diante disso. Na entrevista, Wermerson também destacou a importância das abelhas para a natureza.

Qual a sua percepção sobre estes acontecimentos com as abelhas na região? Quais as prováveis causas?

Nos últimos tempos o ataque de abelhas nas cidades, nos centros urbanos, está se tornando cada vez mais comum. A gente compreende que a abelha ataca para se defender, e o fato dessas abelhas estarem indo para os centros urbanos é pelo simples fato de que no seu habitat natural elas (as abelhas) não está tendo recurso suficiente para manter o enxame. Por isso as abelhas vão abandonar aquele ambiente onde estavam e vão procurar outro ambiente na região com mais condições de alimentos para lhe sobreviver.
Outro fato possível é quanto ao acesso de alimentação. Se em determinada região ele (o enxame) cresce de uma forma tão interessante que chega a se dividir em dois, e uma parte daquele enxame vai procurar outro habitat; este processo chama-se de Enxameação. Então quando o enxame está no ambiente e ali está totalmente adaptado, ele tende a cada momento se defender.
Quando se tem um enxame, nós não tratamos como se tivesse ali 100, 200 ou 500 abelhas, a gente está falando de uma população que chega a 90 mil abelhas, ou seja, uma quantidade enorme de abelhas que tem em um enxame.
Então esses casos de ataque de abelhas a pessoas nos centros urbanos torna-se comum por conta do excesso de vibração; qualquer gesto que se torne ameaça para o enxame, ele tende a se defender pois é o instinto natural do animal para defender a sua colônia e ali manterem-se vivos. Por isso é importante que as pessoas tenham cuidado e respeito ao ambiente das abelhas.

Existe uma explicação ambiental sobre esta questão?

Existem condições ambientais que podem favorecer ou tornar o enxame mais agressivo. O dia em que a temperatura esteja quente, o ambiente onde as abelhas estão vai se tornar um ambiente hostil, e as abelhas vão ficar mais agressivas.
Importante ficar atento quanto as condições de florada nos ambientes, ou se as abelhas apresentam elevada quantidade de alimento estocado dentro da colmeia, pois isto vai fazer com que o enxame tenha um alto índice de agressividade, já que vai estar defendendo aquele ambiente. Mel estocado é uma fonte de sobrevivência do enxame para o período de estiagem.  O enxame vai defender o ambiente de qualquer forma sempre que se sentir ameaçado.

As abelhas são "malvadas", como costumamos pensar? Ou são, na verdade, muito importantes para a natureza?

Um grande pensador disse um dia que se as abelhas desaparecerem do nosso planeta a humanidade terá apenas quatro anos de existência. Esta é uma frase de Albert Einstein, de muitos anos atrás.
As abelhas não são malvadas; elas não fazem mal, fazem mel. A partir disso a gente percebe que é uma característica das abelhas se defenderem, defenderem o ambiente onde estão. Se abelha não for  ameaçada, ela não vai atacar.
Nas normas técnicas de implementação de apiário nós dizemos que é necessário pelo menos 500 metros de distância para as residências. Se a família não for lá na casa na caixa da colmeia mexer nas abelhas, elas nunca irão lhe atacar. Se por acaso você está próximo e o enxame está tentando lhe atacar, é uma forma natural do enxame tentar defender o ambiente onde ela está.
As abelhas são importante para o processo de polinização e manutenção do ecossistema, por isso que Albert Einstein disse que se as abelhas desaparecerem do ambiente não haverá o processo de polinização e o equilíbrio do planeta vai estar comprometido. As abelhas são polinizadoras e  mantêm o ciclo natural do ambiente.

Quais os cuidados que devemos ter em relação às possíveis picadas de abelhas? Como devemos proceder se estivermos próximos/as a um enxame? É correto matá-las?

Uma vez uma pessoa sendo ameaçada por um enxame, se a pessoa ainda não foi picada, a primeira orientação é a pessoa abaixar-se e tentar ver se despista o ataque da abelha e depois tentar correr em forma de zig zag.
Se perceber que não vai conseguir despistar as abelhas, se estiver de camiseta se tiver usando camiseta ou alguma outra peça de roupa tire e use-a para proteger o rosto, cabeça e o pescoço, pois quanto mais ferroadas nessa região mais possibilidade do choque anafilático. Isso pode comprometer principalmente aquelas pessoas que tem alergia à picada de abelha; tem casos onde a pessoa chega a óbito com a toxina que existe no ferrão da abelha compromete.
Outra coisa é que se você estiver sendo atacado, é importante evitar ir para locais onde tenham muitas pessoas, para evitar que aquelas outras sofram com ataque das abelhas.
Fugir para locais onde há água é outra recomendação também. Jogar água com a mangueira também tira a tira um pouco de feromônio das abelhas. Nunca se jogar no riacho, lagoa que você não conhece a profundidade, até porque se você não souber nadar e não sabe a profundidade, você pode acabar morrendo afogado.
Outra orientação importante é nunca matar as abelhas quando tiver sendo ferrado, pois quando você mata uma abelha, você faz com que as outras abelhas continuem te atacando.
É importante que sempre que for você for ferroado, nunca tente retirar o ferrão como se fosse um espinho. Sempre usar um cartão de crédito, a lâmina do canivete, para tentar tirar o ferrão em forma de raspagem, evitando que a toxina se espalhe ainda mais no seu corpo.


De que forma nós, seres humanos, podemos contribuir para que situações como essas, que ocorreram recentemente, com enxames de abelhas em zonas urbanas, não se repitam?

Para evitar que esse acontecimento se repita nos centros urbanos é necessário que nós possamos continuar preservando o ambiente natural que é das abelhas. Na natureza, manter a caatinga em pé, manter um ambiente reflorestado sempre, para que as abelhas possam sempre estar sempre encontrando alimentos em quantidade nos seus habitats naturais, buscando seu alimento na própria natureza.
Evitar queimadas ou qualquer tipo de agressão a natureza é fundamental para que as abelhas possam estar naquele ambiente e evitar que ela vá para centros urbanos.
Sempre que ver um enxame nunca tente jogar pedra, nunca tente atacá-lo, sempre se afaste e procure uma pessoa capacitada para tentar retirar aquele enxame do ambiente onde está e que esteja ameaçando, seja na sua casa, no seu local de trabalho. Tente sempre buscar ambientes mais seguros e sempre procure pessoas capacitadas, como o Corpo de Bombeiros, Apicultores da região, que vão ajudar.
Vamos tentar fazer com que não precisamos ter uma imagem negativa das abelhas, elas apenas tentam se defender. As abelhas vão manter o seu ambiente em harmonia se ele não for atacada; elas não vão cometer um ataque. Se você não mexer com elas, elas não mexem com você.

Texto: Irpaa / Foto: Wermerson Cardoso 


Veja também

< voltar    < principal    < outras notícias

Página:

Biólogo explica possíveis causas de ataques de abelhas na Bahia e Pernambuco, e destaca a importância de preservar a natureza

Para:


Suas informações:



(500 caracteres no máximo) * Preenchimento obrigatório




Campanhas

Newsletters

Cadastre seu e-mail para receber notícias.

Formulário de Contato





Faça sua doação


Copyright © 2005 - 2009 IRPAA.ORG Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada - IRPAA
Avenida das Nações nº 04 - 48905-531 Juazeiro - Bahia, Brasil
Tel.: 0055-74-3611-6481 - Fax.: 0055-74-3611-5385 - E-mail: irpaa@irpaa.org - CNPJ 63.094.346/0001-16
Utilidade Pública Federal, Portaria 1531/06 - DOU 15/09/2006 Utilidade Pública Estadual, Lei nº7429/99
Utilidade Pública Municipal, Lei nº 1,383/94 Registro no CNAS nº R040/2005 - DOU 22/03/2005