IRPAA - Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada

Viver no sertão é conviver com o Clima

Formulário de Busca

Siga-nos:



Notícias

Membro da Aliança Internacional para Captação de Água de Chuva visita a região

Membro da Aliança Internacional para Captação de Água de Chuva visita a região

O representante da Aliança Internacional para Captação da Água de Chuva (IRHA), o senhor Han Heijnen, está visitando a região para observar as experiências de aproveitamento da água de chuva, especialmente em comunidades acompanhadas pelo Irpaa. A IRHA tem sede em Genebra, na Suíça, e divulga em todo o mundo projetos e experimentos de aproveitamento da água de chuva que respondem aos problemas relacionados ao abastecimento, principalmente em regiões áridas e semiáridas.

Han diz que a organização tem realizado importantes eventos sobre sistemas de captação de água de chuva até mesmo junto à Organização das Nações Unidas e produzido muita informação sobre o tema e que isso tem influenciado muitas autoridades políticas e até rendido um certo reconhecimento internacional à instituição. A entidade também direciona seus trabalhos junto às escolas e universidades de países como Siri Lanka, Nigéria, Nepal, Colômbia, dentre outros.

Além de participar e promover conferências sobre água e meio ambiente como a que ocorreu há 02 anos em Joanesburgo na África do Sul, a Aliança acompanha programas de abastecimento de água em países formados por montanhas como o Siri Lanka por exemplo, onde as populações locais aprenderam diferentes manejos de uso da água da chuva a partir de fontes de armazenamento em regiões altas e baixas das montanhas. Neste país, a tradição de captar a água de chuva foi redescoberta pela população local depois de uma grande estiagem. Lá, as tecnologias, como tanques escavados no chão, estão muito presentes tanto no interior como nas áreas litorâneas.

Para Han, os países com problemas de escassez de água, especialmente nas áreas rurais, como o Brasil, por exemplo, precisam assegurar o abastecimento de água a toda a população, pois todos são cidadãos e devem ter igualdade de direitos. De acordo com o Ham, se no Semiárido brasileiro há um período de chuva que dura 4 meses em média no ano, se faz necessário então que o país tenha programas que garantam a água para o povo o ano inteiro. É com esse argumento que a entidade tem tido sucesso em programas de captação de água de chuva em países do Oriente e de difícil acesso e que se discute a água como fator inerente ao desenvolvimento socioeconômico das pessoas, principalmente aquelas que vivem essencialmente da agricultura e da criação de animais, situação que requer respostas mais urgentes quando se trata das áreas áridas e semiáridas que tem temperaturas e evaporação elevadas.


Tecnologias

No Semiárido brasileiro a mais conhecida tecnologia de captação de água de chuva é a cisterna familiar que assegura a água para o consumo humano, porém as diferentes fontes e alternativas de água de produção estão atualmente ganhando muita notoriedade, sendo até inseridas nos programas governamentais como: barragens subterrâneas, barreiros trincheiras e cisternas de enxurradas, por exemplo. Tenologias que serão observadas pelo representante da IRHA nesta visita que tem início nas comunidades do interior de Curaçá e que deve terminar com relatório que servirá de subsídio para os estudos realizados por esta importante organização internacional.


Veja também

< voltar    < principal    < outras notícias

Página:

Membro da Aliança Internacional para Captação de Água de Chuva visita a região

Para:


Suas informações:



(500 caracteres no máximo) * Preenchimento obrigatório




Campanhas

Newsletters

Cadastre seu e-mail para receber notícias.

Formulário de Contato





Faça sua doação


Copyright © 2005 - 2009 IRPAA.ORG Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada - IRPAA
Avenida das Nações nº 04 - 48905-531 Juazeiro - Bahia, Brasil
Tel.: 0055-74-3611-6481 - Fax.: 0055-74-3611-5385 - E-mail: irpaa@irpaa.org - CNPJ 63.094.346/0001-16
Utilidade Pública Federal, Portaria 1531/06 - DOU 15/09/2006 Utilidade Pública Estadual, Lei nº7429/99
Utilidade Pública Municipal, Lei nº 1,383/94 Registro no CNAS nº R040/2005 - DOU 22/03/2005