IRPAA - Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada

Viver no sertão é conviver com o Clima

Formulário de Busca

Siga-nos:



Jovens

04.06.2018

Envie por e-mail

Acesso e gestão da água no Semiárido é tema de formação de estudantes da república do Irpaa

Estudantes da República do Irpaa protagonizaram um intercâmbio de experiências na Comunidade de Fundo de Pasto Cachoeirinha, em Juazeiro. Lá, os educandos puderam visualizar as estruturas hídricas disponíveis e o modo como as famílias da comunidade lidam com a água.

Uma reportagem veiculada na mídia local sobre o referido tema, a partirda mesma comunidade e a cartilha “A busca da água no Sertão” também se constituíram em material de estudo. Um dos textos descritos na cartilha, o salmo 104, foi utilizado como reflexão na mística de abertura do intercâmbio, onde o grupo foi guiado pelo Senhor Pedro Duarte, popular Pedrinho, liderança da comunidade. Representantes do eixo Administração do Irpaa também integraram o grupo.

A adutora pública existente não funciona por lá, e as várias tecnologias de captação e manejo de água disponíveis e que asseguram as demandas da comunidade foram vistas e estudadas quanto à origem, quantidade e qualidade da água, bem como a eficiência e a que se destina cada uma. Os educandos demonstraram boa compreensão sobre o fenômeno da evaporação, elevada no Semiárido, ao avaliarem a diferença entre barreiros: a diferença ficou nítida ao compararem o volume de água disponível num barreiro tipo trincheira (abundante), com o tipo prato (quase seco), mesmo há poucos meses da última chuva.

Também foram apresentados poços artesianos particulares, grande parte perfurados com recursos próprios, usados na irrigação de bancos de forragens (capim elefante, sorgo, palma). Um deles foi visitado, apresentando vazão de 10 mil litros por hora, utilizado para o cultivo comercial de tomate, uma exceção em Cachoeirinha, mas uma tendência crescente e preocupante quando trata-se de águas salobras.

Além disso, foram visitadas algumas cisternas calçadão que suportam cultivo de hortaliças e dessedentação de caprinos. Em particular, uma cacimba construída na década de 1940, pelo avô do líder comunitário, à qual assegurou sozinha e por décadas todas as demandas domésticas e dos rebanhos de Cachoerinha e comunidades vizinhas, antes da recente cultura de captação artificial de água de chuva com tecnologias diversificadas. A forma de retirada de água da cacimba foi mudando ao longo do tempo. Primeiro, foi usada a roldana ou carretel (manual), depois um cata-vento, e por último, com a chegada da eletricidade, uma bomba elétrica auxilia na extração da água usada para consumo animal e cultivo de forrageiras.

Em visita à família do presidente da associação local, o Sr. Iremar, os estudantes conheceram a atividade da caprinocultura de leite com produção de queijos tipo coalho, da qual o morador tira boa parte de sua renda. Também foram analisados o suprimento de água da unidade familiar a partir de poço artesiano, cisternas de 16 e 52m² e abastecimento por carro pipa. Por último, foi feita uma visita a barragem (de pedra) de uso comunitário, construída em 2006, na qual boa parte da mão de obra foi assumida pela comunidade, com a ajuda de recursos externos custeado pelo Estado da Bahia.

A estudante Maiara Freitas, emocionada, fala do prazer de estar visitando uma comunidade tradicional e do seu reconhecimento sobre a importância das tecnologias para os moradores de Cachoeirinha. “Pra mim foi muito importante ver de perto todas aquelas tecnologias, ver que realmente dá certo e que é possível sim viver no Semiárido e viver bem. Eu saí de lá com a esperança renovada de que eu estou no caminho certo”, afirmou Maiara.

Dando procedimento as atividades no Centro de formação Dom José Rodrigues, os educandos rediscutiram a pauta com assessoria do Eixo Clima e Água, exercitando a capacidade de leitura crítica da realidade – qualidade requerida à extensionistas, apontando potenciais, avanços e desafios da comunidade, bem como possíveis soluções para além das apontadas nas três fontes de estudo (vídeo, cartilha e comunidade).

A diversidade de tecnologias, empoderamento político, capacidade de mobilização e de tomar inciativas, bem como a organização da comunidade, é apontada como potenciais e virtudes, tendo como ilustração a normativa estabelecida pela associação de limitar em 25 o número de caprinos e ovinos, por família, a serem inseridos no Fundo de Pasto. Isso corresponde a uma lotação de 0,38 animais por hectare, o que possibilita manter a caatinga em perfeito estado de preservação, sem deixar de ser usada economicamente pelas 20 famílias beneficiárias.

O uso de agroquímicos no manejo de plantas e animais, e a dependência do carro-pipa são apontados como desafios a serem superados. Como sugestão de ampliação das possibilidades de renda e sustentabilidade hídrica e ambiental, os educandos sugerem a diversificação da produção centrada em caprinos, com a apicultura e aves, além da reutilização da água servida nas residências.

Para André Rocha, coordenador do Eixo Clima e Água do Irpaa e facilitador da atividade, “o intercâmbio de experiências, seguido de debate, é a metodologia mais eficiente de obtenção e afirmação de conhecimentos porque dialoga teoria e prática com linguagem simples a partir de quem vivência a realidade”.

A formação faz parte do programa de formação continuada dos estudantes da Republica do IRPAA. Nos últimos meses, o grupo esteve aprofundando conceitos e aspectos práticos das “Cinco linhas de luta pela Água” defendida pela instituição. Nos último dois meses, os estudantes acompanharam estratégias de abastecimento e gestão de água em comunidades difusas do Semiárido, como parte do estudo realizado pelo Eixo Clima e Água.

Ainda estão previstos para o segundo semestre o estudo sobre microclima e tecnologias hidro ambientais.

Texto: Camila Santos e Paulo Queiroz
Revisão: Comunicação Irpaa

 

 

 

< voltar    < principal    < mais notícias

Página:

Acesso e gestão da água no Semiárido é tema de formação de estudantes da república do Irpaa

Para:


Suas informações:



(500 caracteres no máximo) * Preenchimento obrigatório




Campanhas

Newsletters

Cadastre seu e-mail para receber notícias.

Formulário de Contato





Faça sua doação


Copyright © 2005 - 2009 IRPAA.ORG Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada - IRPAA
Avenida das Nações nº 04 - 48905-531 Juazeiro - Bahia, Brasil
Tel.: 0055-74-3611-6481 - Fax.: 0055-74-3611-5385 - E-mail: irpaa@irpaa.org - CNPJ 63.094.346/0001-16
Utilidade Pública Federal, Portaria 1531/06 - DOU 15/09/2006 Utilidade Pública Estadual, Lei nº7429/99
Utilidade Pública Municipal, Lei nº 1,383/94 Registro no CNAS nº R040/2005 - DOU 22/03/2005